CONVERSAR COM PLANTAS????

Nesse post quero mostrar porque é importante "CONVERSAR COM AS PLANTAS" que é coisa séria, não é loucura. Foi provado científicamente que as plantas reagem ao ambiente ao seu redor e por isso é importante que aprendamos a interagir com elas.....

Vejam esta matéria e depois tirem suas próprias conclusões.

No século XVIII, Carl von Linné, o pai da Botânica Moderna, afirmou que a planta difere de animais e humanos apenas por sua incapacidade de mover-se.

Dr. Gustav Theodor Fechner, que era médico, físico e professor alemão, foi tido como um louco por muitos em 1848, quando sugeriu que as pessoas deveriam falar com as plantas para ajudá-las a crescer e produzir flores e frutos mais belos e saborosos. Em seu livro “Nana, a Força Viva das Plantas”, ele ousou dizer que as plantas eram semelhantes aos seres humanos, tinham um sistema nervoso central e possuíam emoções e sentimentos. Indagava com freqüência, “ Além das almas que se atropelam e berram e se devoram, não há de haver almas que desabrocham serenas e exalam perfume e saciam com o orvalho sua sede e com o brotamento seus impulsos ?”.

Trinta e quatro anos depois, Charles Darwin, o famoso naturalista inglês, escreveu “O Poder do Movimento nas Plantas”, onde compara as características dos primatas com as das plantas. Para Darwin, as plantas são dotadas de uma capacidade incomum de movimento e somente a demonstram diante de uma real necessidade.

No inicio do século XX, o biólogo vienense, Raoul Francé declarava que as plantas movem-se com capacidade, liberdade e graça semelhante aos bichos ou aos humanos. Isso viria a chocar os naturalistas da época.

Rudolf Steiner, o famoso agrônomo e místico alemão criador da Sociedade Antroposófica, estudou as plantas em detalhe e desenvolveu um método de processar matéria orgânica em combinação com as forças cósmicas e aplicando o produto resultante em doses homeopáticas nas plantações. Foi um ardente defensor da agricultura orgânica. Para ele, não apenas as plantas mas também o solo eram organismos vivos.

Na década de 60, uma descoberta fantástica aconteceu de forma inteiramente inesperada. Cleve Backster, um famoso perito em polígrafos (aparelhos para detecção de mentira), conectou os eletrodos de sua máquina nas folhas de uma Dracena massageana. A planta, para espanto de Backster, demonstrou uma reação semelhante à de um ser humano submetido a uma situação de estresse emocional. Teria a planta tido uma reação emocional ou fora tudo apenas uma resposta fisiológica à passagem de uma corrente elétrica através da folha ? Bom, para descobrir, Backster teria que causar uma situação de ameaça à planta e verificar se haveria alguma mudança significativa no gráfico de respostas. Ele pensou em queimar as folhas. Nesse exato momento, a agulha do aparelho deu um salto ! Como poderia ter acontecido quando ele apenas pensou em fazê-lo ??? ! ! !

Backster era um profissional experiente, afinal ministrava cursos para policiais e peritos do mundo inteiro, mas . . . Como isso teria acontecido ? Ele então concebeu uma ameaça maior. Pensou em apanhar os fósforos e realmente queimar a planta. Novamente a agulha deu um salto dramático ! Estava evidente, sem sombra de duvidas, que as plantas pensam e, de alguma forma, podiam ler seus pensamentos.

Após essa descoberta inicial, muitos outros experimentos foram conduzidos com resultados surpreendentes e puderam ser repetidos por outros experimentadores (agora intrigados cientistas) e os resultados plenamente verificados. A descoberta passou a ser conhecida como “Efeito Bakster”.

Veham alguns desses experimentos:

Foi feito um experimento para saber se as plantas eram sensíveis também à destruição ou ameaça à outras formas de vida. Foi construída uma máquina que deveria matar alguns camarões sem intervenção humana e de forma inteiramente automatizada numa determinada sala. Em várias outras salas foram colocadas plantas conectadas a polígrafos muito sensíveis. Como fator de controle e para detectar qualquer influencia ambiental ou possíveis variações aleatórias na leitura dos poligrafos, alguns desses aparelhos foram ligados, medindo corrente elétrica sem estarem conectados a qualquer planta. Os cientistas deixaram o laboratório e retornaram algum tempo depois para checarem os resultados. Ninguém sabia exatamente quando a máquina iria aniquilar os camarões. No exato momento em que os camarões foram mortos, TODAS as plantas tiveram variações violentas no gráfico de seus respectivos aparelhos, muito embora estivessem em salas separadas da sala onde os animais foram mortos.

Em outra ocasião, foi pedido a um grupo de estudantes que entrassem em determinada sala, permanecessem por alguns minutos e saíssem. Apenas um, sem que ninguém soubesse (nem mesmo os cientistas), foi pedido que arrancasse uma folha de uma planta na sala. Mais tarde os alunos retornaram um a um e quando o agressor entrou na sala, a planta, agora ligada a um detector, demonstrou sentir grande medo, pois o gráfico do aparelho apresentou variações significativas.

Em 1970, um dentista de Nova York, o Dr. George Milstein, produziu um disco com músicas clássicas e suaves para ajudar as plantas crescerem. Baseado em suas próprias experiências, ele dizia que as plantas desenvolviam-se melhor num ambiente com música agradável. Fato este confirmado por experimentos controlados feitos por vários departamentos, em escolas de Agronomia e Botânica de algumas universidades americanas.

Depois disso é difícil aceitar que as plantas não sentem...e também é por isso que meu trabalho
tornou-se ainda mais interessante. Sempre que preciso da ajuda delas ou para preparar um chá, ou para fazer um extrato, sabonetes, óleos essenciais, qualquer coisa, até mesmo para colher uma flor e enfeitar minha casa, sempre, antes da colheita, converso e explico a elas qual meu objetivo, que não pretendo de forma alguma machucá-las, apenas preciso muito de sua ajuda.....pode parecer loucura para alguns desavisados, mas depois de estudar o comportamento delas não há como agir diferente......

Amo as plantas......

6 comentários:

TetraHidro disse...

Parabéns pelo post. Uma aula para qualquer um! =)

Guto Nunes disse...

Fiquei abismado com tanta comprovação, vou procurar livros de Rudolf Steiner, pois estou muito interessado no cultivo orgânico de vários vegetais.

ALINE CAROLINA disse...

Com certeza não da mais para agir diferente depois dessa matéria ... aliais eu acabo de transferir uma MARIA SEM-VERGONHA de vaso e to morrendo de dô! procurei essa materia porque minha mãe sempre diz para conversar com elas... então me de licença pois vou conversar com as minha... muito obrigada por esse esclarecimento.

Aline Caldas

Isabel disse...

SENSACIONAL! Sempre amei as plantas eu converso com as minhas e tudo o que foi dito sobre o assunto para mim soa perfeitamente normal. amo muito tudo isso .Grata pelas informações.

Alan Bruno disse...

Gente to pasmo. Nunca mais arranco as folhas das plantas. 😨

Adrielle Santana disse...

To apaixonada por esse post ❤❤🌼🌺🌳🌹